EnriquecendoMercado financeiroSocorro financeiro

Os 7 pecados das finanças (Parte 1)

7 Pecados das finanças

Nesse primeiro post você verá 2 dos 7 pecados capitais das finanças. Estes te impedem de ser rico, então, evite cometê-los. Se você comete qualquer um desses erros pare imediatamente.

Pecados das finanças n° 1: Baixo conhecimento financeiro.

Se você quer ser rico, não basta apenas ter um bom emprego ou ser dono ou sócio de uma empresa. Você precisa investir no seu próprio conhecimento para gerir o dinheiro da melhor forma. Esse conhecimento está dividido em 4 partes principais:

  1. Contabilidade básica: O mínimo que você precisa saber para organizar suas finanças, como dívidas, receitas, despesas, ativos e passivos.
  2. Investimentos: Saber sobre investimentos também é essencial na hora de tomar a melhor decisão no quesito ganhar dinheiro. Sabendo sobre taxa de juros, dividendos, análise de empresas pode te ajudar muito na hora de investir. Outra coisa importante, saber todos os custos envolvidos com a operação de investimento.
  3. Mercado Financeiro: O mercado financeiro é um organismo próprio, entender como ele funciona ajuda na hora de se programar e investir. Além disso, quando o mercado financeiro está mal, surgem excelentes oportunidades de compra que você deve aproveitar. Outra coisa, o mercado tende a agir de acordo com acontecimentos nacionais e internacionais. Logo, entender de mercado financeiro lhe dá uma vantagem grande nas suas decisões financeiras gerais.
  4. Situações legais: Entender das leis, principalmente de regras de impostos é crucial na caminhada dos investimentos. Saber quais impostos pagar e quanto pagar é muito importante, principalmente para evitar processos e multas pesadas. A receita está sempre de olho em nossas finanças, portanto, quanto melhor você souber de leis, mais seguro estará.

Pecados das finanças n° 2: Investir em passivos ao invés de ativos.

O segundo dos pecados das finanças é investir em mais passivos do que ativos. Isto não é inteligente, tampouco foi utilizado por qualquer pessoa que ficou rica. Se você deseja múltiplas fontes de renda, entenda a diferença de cada um:

Passivos

Por definição, passivos são elementos financeiros que retiram dinheiro de seus bolsos, enquanto ativos são o contrário. Passivos são como sanguessugas, que constantemente precisam de dinheiro para a sua manutenção. Um exemplo clássico de passivo é o carro. Este sempre dá manutenção e você precisa gastar, seja com gasolina, óleo, filtros, bateria e outros. Sendo um bem necessário, este pode ser muito importante para grandes famílias. Por isso eu não recomendo que você venda o seu carro, mas que evite trocá-lo por um novo.

A idéia é a seguinte: comprar um carro novo não é inteligente, este se depreciará nos próximos meses e anos e você trabalhará para pagar a diferença. Por exemplo, um carro de R$ 30.000,00, no fim do ano ele valerá R$ 25.000,00, e adivinha quem perdeu R$ 5.000,00? Você, esse dinheiro você deverá trabalhar para recuperar quando quiser trocar o carro por um novo.

Se o carro é usado para trabalho, como motorista de aplicativo ou táxi, este é um ativo. Do contrário, é um dos pecado das finanças que você deve evitar.

Logo, você precisa ter inteligência de apenas comprar um carro, ou trocar se você já tem, quando o valor deste não afetar o seu patrimônio líquido.

Para quem não sabe, o cálculo simples de patrimônio líquido se obtém subtraindo seus ativos dos passivos.

Uma casa pode ser um ativo ou passivo dependendo de seu uso. Se você mora, ela é um passivo, custos com manutenção, impostos, serviços básicos e etc. Se você a aluga, ela é um ativo, visto que te dá renda recorrente.

Ativos

Um ativo, é um tipo de investimento, um elemento financeiro que te traz mais dinheiro. Ativos trazem novas fontes de renda, que somadas te tornam rico. Negócios, ações, imóveis, fazendas, gado, títulos e outros são considerados ativos e são muito importantes para quem deseja construir riqueza.

Portanto, entender a diferença entre ativos e passivos é essencial na caminhada para ficar rico. Milionários e bilionários sempre preferem os ativos aos passivos, principalmente por representarem uma fonte de renda extra.

Como um adendo, vinhos raros, coleções de arte, pinturas, carros antigos e outros podem ser considerados ativos. Se seu intuito for como um investimento para o futuro estes podem representar uma interessante reserva de capital que, embora imobilizado, não está sujeito aos problemas de manter dinheiro vivo em casa. Muito cuidado porém: estes também exigem gastos com manutenção que podem representar passivos mais caros do que as próprias peças.

No próximo post continuaremos falando dos pecados das finanças. Comente e dê a sua opinião.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *